Instituto Politécnico da Guarda

A implementação do e-learning como complemento à formação presencial no Instituto Politécnico da Guarda remonta ao ano de 2002, quando foi desenvolvido um projeto-piloto na Escola Superior de Tecnologia e Gestão, com a instalação da primeira infra-estrutura de suporte e formação aos primeiros professores interessados, dos quais alguns deles seriam os próprios formadores numa segunda fase de formação interna de professores, tendo como parceiro na implementação a empresa Novabase. O projeto suportaria dois grandes eixos: a formação curricular e a formação complementar/profissional, sendo que foi sempre dado maior relevo à formação curricular.


Com o aparecimento do projeto Campos Virtuais procurava-se o alargamento da solução a todas as escolas do IPG, bem como uma maior integração nos SI existentes e nos processos organizacionais. A plataforma Blackboard Learn oferecia um maior alinhamento tecnológico com os objectivos pretendidos, pelo que foi escolhida como substituta do LMS anterior, tendo novamente como parceiro na implementação a Novabase.


A plataforma Blackboard Learn é usada nas quatro escolas superiores do IPG, onde são lecionados cursos das áreas da educação, comunicação, desporto, gestão, engenharias, turismo e saúde, em três níveis distintos: Cursos de Especialização Tecnológica, Licenciaturas e Mestrados.

Veja aqui o vídeo completo para conhecer melhor o e-learning no Instituto Politécnico da Guarda.
Clique aqui para obter o case study (Versão em Inglês).


Driver(s) da Mudança

A mudança introduzida nos processos de ensino-aprendizagem resultou de uma decisão estratégica da organização, decorrente da análise da tendência e evolução dos sistemas de ensino superior, das oportunidades que essa mudança podia oferecer (a nível tecnológico e organizacional), e indicadores internos da organização (nomeadamente as taxas de assiduidade às aulas). Não foram os alunos a exigir essa mudança, embora tenham sido, em determinada fase, os principais impulsionadores para que parte do corpo docente que ainda não tinha aderido o tivesse feito, por reconhecerem as vantagens de utilização noutras unidades curriculares que já utilizavam e-elearning.


O projeto passou necessariamente por três fases:

  • Piloto: Instalação da primeira infra-estrutura, formação/sensibilização de docentes. Foram necessariamente recolhidos indicadores necessários para a evolução consistente da solução/projeto;
  • Integração/Alinhamento: Decorrente da evolução da primeira, dos indicadores reportados, da própria evolução tecnológica e organizacional e da implementação de programas nacionais;
  • Disseminação/Evolução (atualidade): Disseminação do uso em todas as escolas superiores, melhoria de processos, mais integração, evolução.


Funcionalidades Mais Utilizadas

Como funcionalidades mais utilizadas, destacam-se claramente a publicação de conteúdos digitais e o sistema de avisos e notificações. Contudo, decorrente da experiência que vários docentes demonstram e do aproveitamento das potencialidades da solução de software, denota-se, em várias unidades curriculares online, o uso de fóruns de discussão, entrega de trabalhos, testes e inquéritos, ferramentas de deteção de plágio, conteúdos multimédia, screencasts, gravação de aulas/apresentações (recorrendo a sistemas externos e publicando na página da UC), blogs/diários individuais/grupo, página de grupos, etc. Pela natureza da instituição e da solução tecnológica, é utilizado um modelo misto de aprendizagem (blended-learning), que combina a formação online com a formação presencial, de forma a obter as mais-valias resultantes da utilização de cada um.


Associado a este projeto, no âmbito de uma candidatura efectuada à medida IV.2 do Programa Operacional da Sociedade do Conhecimento, submetida pela direcção da escola Superior de Tecnologia e Gestão, foi também criado um Gabinete de Produção de Conteúdos, tendo como objectivo apoiar os professores na produção de conteúdos pedagógicos de apoio à atividade docente, normalizados e recorrendo sempre que necessário a standards, possibilitando criar, transformar, adaptar, melhorar apresentações interativas, simulações, demonstrações, entre outros, para serem disponibilizadas no ambiente de aprendizagem online.


Uma fase importante neste percurso foi a integração da plataforma com sistemas de informação existentes, nomeadamente o sistema de informação académica. A plataforma Blackboard, não sendo open-source, disponibiliza uma API de desenvolvimento (Building Blocks) que permite o desenvolvimento de módulos aplicacionais adicionais, o que permitiu integrar de forma automática na plataforma de e-learning toda a informação pertinente existente no sistema de gestão académica, nomeadamente a criação de forma automática de utilizadores, disciplinas e respectivas inscrições.


Paralelamente a essa integração foi ainda possível o desenvolvimento de sistemas integrados nos vários SI, nomeadamente no que se refere ao lançamento de sumários das aulas e na avaliação das unidades curriculares pelos alunos. Ao longo do tempo estes e outros sistemas foram sido desenvolvidos e melhorados, de forma modular, assentando em cima dos SI existentes e alinhando com a estratégia da organização.


Solução abrangente

Pode-se ainda afirmar que a solução actual é mais do que uma solução direccionada para o complemento do ensino, tendo hoje importância significativa a nível organizacional. Na solução estão perfeitamente integrados o portal institucional, o ambiente de aprendizagem, e várias comunidades de trabalho de diversos órgãos do IPG e das escolas, que possibilitam a comunicação e partilha de informação interna da instituição entre os vários intervenientes (dirigentes, professores, funcionários, alunos, membros de órgãos).


Tendo sido a Escola Superior de Tecnologia e Gestão a escola superior que funcionou como piloto em toda a linha do projeto, destaca-se claramente na atualidade como a escola que tem mais índice de penetração da solução tecnológica, embora se denote uma gradual extensão às restantes escolas. Segundo os alunos e professores, a maior vantagem apontada é a facilidade de interacção entre os diversos intervenientes, e a funcionalidade com maior valor educacional apontada é a distribuição de informação e documentos aos alunos. Com a evolução da utilização da solução de software e com a gradual introdução de novas ferramentas no apoio do ensino-aprendizagem, espera-se que no futuro sejam apontadas mais vantagens pelos diversos intervenientes.


O facto de se ter a solução tecnológica a funcionar e de existirem muitos professores a dinamizar as suas unidades curriculares online não é,por si só, garantia de qualidade e sucesso do projeto. Neste sentido, denota-se uma evolução na mudança dos hábitos muito gradual, pelo que a formação, não só demonstrando como funcionam as ferramentas, mas sensibilizando, fornecendo exemplos práticos de utilização e demonstrando as vantagens em determinadas atividades no âmbito do decorrer da unidade curricular, tem desempenhado e desempenhará um papel fundamental para o sucesso do projeto.


Suporte ao processo de Bolonha

Estando disponível 24h/dia, 7 dias/semana, a solução de e-learning providencia um auxílio incontornável à implementação do processo de Bolonha. Não sendo regra, são muitos os casos conhecidos de boa utilização do ambiente de aprendizagem online nomeadamente (numa das seguintes e/ou em todas):

  • Na quebra das barreiras físicas e temporais da sala de aula. A informação está sempre disponível, o professor actualiza a informação e comunica com os alunos em qualquer hora e local e vice-versa, e existe maior rapidez no processo de distribuição da informação;
  • Em atividades que delegam maior responsabilidade ao aluno (participação em diários, grupos, blogs, fóruns, etc., onde se exige que o aluno exponha a sua opinião de forma privada ou pública sobre determinado tema, onde apresente o estado do seu trabalho, onde colabore na construção de informação, etc.), e que, pela sua natureza, a participação do aluno ganha um papel mais activo de forma contínua, nas quais o aluno pode manter o seu próprio ritmo de auto-estudo, auto-aprendizagem e interacção em diversas atividades conduzidas através do ambiente de aprendizagem (veja-se as atividades que fazem recurso a processos de comunicação assíncronos, como a utilização de fóruns de discussão);
  • Na mudança de papel do professor. Para além da informação que disponibiliza aos alunos, em muitos casos são também colocadas direcções, apontadores, comentários e sugestões, etc., assumindo um papel mais orientador da atividade do aluno;
  • No desenvolvimento de sistemas de avaliação contínuos e suportados pelas novas tecnologias. O aluno é constantemente avaliado pela sua interacção no ambiente virtual da disciplina: submissão trabalhos (que podem ser verificados automaticamente relativamente a eventual plágio), testes online, registos de participação (em fóruns, blogues, etc.), etc. Destaca-se pela positiva em algumas unidades curriculares o recurso aos fóruns de discussão onde os alunos são convidados a expor o seu trabalho e a comentarem o trabalho exposto pelos colegas, moderado e, em vários casos, avaliado pelo professor.
Este exemplo pode ser transferido para outros contextos de ensino e aprendizagem, uma vez que, embora tenha como base uma instituição de ensino superior, com as suas particularidades e especialidades, as bases de funcionamento, os seus pressupostos e as fases que foram percorridas até se chegar ao estado actual podem perfeitamente ser aplicadas, com devidas alterações circunstanciais, noutros contextos e realidades, principalmente em instituições de ensino.


Sustentabilidade

O e-learning no IPG é um exemplo de sustentabilidade, nomeadamente nos seguintes factores:

  • Tem como base tecnológica uma plataforma de e-learning utilizada em inúmeras instituições nacionais e estrangeiras, e portanto, testada em diferentes realidades. Sendo uma solução comercial tem obviamente um risco associado ao seu custo mas, inversamente, a instituição beneficia de suporte profissional. Por outro lado, todos os anos são lançadas novas funcionalidades na solução, o que garante que estejam disponíveis mais e melhores ferramentas de apoio ao ensino;
  • O modelo de Bolonha veio introduzir alterações ao sistema de ensino que criaram novas oportunidades na utilização de sistemas de e-learning;
  • Os diversos intervenientes têm já algum background na utilização da solução e na utilização das novas tecnologias. Tendencialmente esse background é para crescer de ano para ano;
  • Não menos importante, a organização (e grande parte dos seus intervenientes) reconhece os benefícios e oportunidades geradas.


Mobilidade na Educação – IPG Mobile

Não só nos sistemas de ensino têm ocorrido mudanças. Também no e-learning e na tecnologia de suporte têm ocorrido grandes mudanças: novas metodologias e paradigmas proporcionados pelo desenvolvimento tecnológico, o carácter cada vez mais social da web, a disseminação das tecnologias móveis (que associadas à evolução natural das redes móveis, dos equipamentos móveis, do e-learning e da web) introduziram um termo novo: m-learning. No início de 2012, o IPG adotou a plataforma Mobile da Blackboard, a Blackboard Mobile Learn de forma a estender o acesso às atividades de ensino e de aprendizagem para professores e alunos através de dispositivos móveis (Smartphones e Tablets). Desta forma, alunos e professores podem aceder às suas disciplinas de qualquer lado, a qualquer momento e qualquer dispositivo.


Novos conteúdos, imagens ou vídeos podem ser partilhados instantaneamente e os alunos podem aceder também às suas notas, realizar um teste, participar num fórum ou blog. O IPG acredita que a estratégia de “Mobile Learn” deve acompanhar o ritmo de evolução do tipo de ambientes tecnológicos que os alunos já conhecem e usam na vida quotidiana. Os Personal Learning Environments e a própria buzzworde-learning 2.0”, colocarão novos desafios futuros a todos os níveis, pelo que acreditar que a tecnologia e os processos estão implementados e serão estáveis nos próximos anos é pura ilusão.


Sobre o Instituto Politécnico da Guarda

O Instituto Politécnico da Guarda é uma instituição de ensino superior de direito público, ao serviço da sociedade, orientada para a produção e difusão do conhecimento, criação, transmissão e difusão da cultura e do saber de natureza profissional, da ciência, da tecnologia e das artes, através da articulação do estudo, do ensino, da investigação orientada e do desenvolvimento experimental.


O IPG promove ativamente a criação de condições para melhorar o nível de serviços online prestados aos seus alunos e docentes, implementando mecanismos de cooperação e interacão entre os utilizadores do seu Campus. O e-learning é um elemento que contribui decisivamente para este objetivo, garantindo a interação entre alunos e docentes, independentemente do local e hora, e garantindo o contínuo processo de ensino/aprendizagem.


Saber mais

MAIS INFORMAÇÃO? CONTACTE-NOS
 

     Fale com um Especialista
     agora

 Ligue +351 21 383 65 78

Testemunhos


O e-Learning no dia a dia do Professor

Porquê a Blackboard

Doutor Constantino Rei, Presidente do IPG